quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

A IDADE DO AMOR


Quis
me esconder
entre os cantos
dizer e amar
no ventre
de todos
os prantos
me sentir
fluindo em
tuas veias
guardado em
doce e lindo
acalanto
e descobri
que o amor
não dura “só”
e “enquanto”
ou “se” ou
“no entanto”
hoje sei
que ele tem
a idade do tempo
por isso imortal
como nossa alma...

e terno...
eterno... permanente...


(Tadeu Paulo -- 2008-01-29)
Tadeu Paulo
Publicado no Recanto das Letras em 21/02/2008
Código do texto: T868866


Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.