sexta-feira, 19 de outubro de 2007

SAUDADES E SONHOS, AO VENTO




Ninguém sabe
o caminho do vento
nem se ele leva
nossos sonhos, medos,
saudades ou segredos...
voa longe no tempo
-- é certo -- e segue
sempre deserto...
mas onde será
que se esconde?
pr'aonde será que vai?
toca em nosso rosto,
escorre em nosso corpo
e vem afinal de onde?


(Tadeu Paulo -- 2007-10-04)

Tadeu Paulo
Publicado no Recanto das Letras em 04/10/2007
Código do texto: T680535

2 comentários:

m_therezat disse...

Boa noite Poeta!!!!

Vim me deliciar com teus lindo poemas e te deixar um beijo de boa noite!

Lindo o teu blog,parabéns!

beijos

Bel disse...

Tadeu, linda poesia e ótimas perguntas, se eu fosse o vento, diria: " Talvez venha do infinito, diáfano como a noite ou cortante como navalha. Se levo sonhos e medos, trago esperanças e paixões...Escondo-me nos pulmões da natureza e meu curso é apenas passar...todavia, me faço sentimento...". Mas, como não sou vento, sou apenas uma brisa que adora vir te ler, deixo aqui, meus aplausos...Beijos