sexta-feira, 10 de abril de 2009

MUITOS DE MIM . . .


sou
muitos de mim;
o que dorme
e te sonha,
mulher e amante;
o que acorda
e sente tua ausência;
o que tem
a visão oceânica,
e se encanta
com suas águas
e ondas;
o que anda sem rumo,
por ruas sem-fim,
sem olhar de horizonte,
encostado em becos,
inundado em lágrimas;
sou sim,
muitos de mim;
da identidade à poesia...
enfim, do homem que vês
à invisibilidade do poeta...



(Tadeu Paulo -- 2009-04-10)

Um comentário:

MARIA NELLY disse...

ESTOU ENCANTADA COM SEU BLOG
E SUAS POESIAS.

PARABÉNS PELA BELEZA E SENSIBILIDADE
MARIA NELLY