sábado, 15 de novembro de 2008

PERDOA-ME POR TE AMAR . . .





Ah,
pudesse ser a flor
que sempre
ganha o perfume
de teus cabelos;
pudesse ser o
lenço de seda
agarrado
ao teu pescoço;
pudesse ter a sorte
de ser a toalha macia
que envolve o teu corpo;
enxugá-lo da cabeça aos pés...
e não seria só vontade...
ímpeto e desejo...
nem te importunaria
com meus versos;
por isso, peço-te
que me desculpes...
e me perdoe por te amar
em tão perturbador
e solitário silêncio...



(Tadeu Paulo -- 2008-10-26)


Tadeu Paulo
Publicado no Recanto das Letras em 27/10/2008
Código do texto: T1250323

2 comentários:

Luz e Mar disse...

Nossa, amo as poesias de Tadeu! Ele consegue tocar meu ♥
A emoção aliada a beleza de cada palavra e a profundidade de cada frase... Deus o abençoe sempre!

Rô Lopes disse...

Tadeu poeta de alma e coraçao... com esta voce me deixou inebriada.
Realmente nós poetas menores temos muito a aprender com voce.

Parabéns pelos textos e pelo lindíssimo blog.

Foi a primeira vez que vim ate aqui, nao sabia, porém foi boa a visita pois me deleitei com lindos poemas, neste momento tão meu que estou vivendo agora (hoje).

Beijos na alma de poeta que amo.